sexta-feira, 21 de agosto de 2009

As Tall As Lions - You Can't Take It With You (2009)

Como alguns de vocês já perceberem - e até me procuraram - , faz algum tempo que não posto nada no blog. Bom, além de toda essa confusão com relação à gripe suína, e a modificação e aceleração do calendário escolar, que dizimou todo meu tempo livre, outro fator que contribuiu para essa escassez de postagens de resenhas foi a falta de bons discos que tenham sido recentemente lançados. Eu escutei todas as bandas que lançaram algum disco recentemente, todas mesmo, mas nenhuma delas me agradou o bastante. O meu plano para atualizar o blog era resenhar o Shaka Rock do Jet, que é um dos discos que eu esperava para 2009. Só que... Peço desculpa aos que são fãs da banda e aos que gostaram do disco, mas - em minha mera opinião - o disco é... Bom, prefiro não escrever. Muitos leitores não gostam de palavrões. Mas hoje, finalmente, encontrei uma obra que vale á pena ser compartilhada com vocês. Estou falando do "You Can't Take it With You", o novíssimo disco do As Tall As Lions.

O disco foi lançado ofialmente dia 18 deste mês, e está na internet há pouquíssimos dias. Não descobri a banda por acaso desta vez. Como já disse anteriormente, eu escutei todas as bandas que lançaram algo recentemente, e depois de uma pesquisa árdua, cheguei ao myspace do As Tall As Lions, e depois de escutar três músicas do novo disco dos rapazes, veio enfim, a incomparável sensação de alívio.

You Can't Take it With You, é o terceiro disco de estúdio dos caras, e sucessor do elogiadíssimo As Tall As Lions (self titled). Ainda não tive a chance de escutar os outros dois, mas You Can't Take It With You é um disco tão pessoal, tão claro, que faz qualquer um que escute este disco sinta-se como um perito da banda. E não foi diferente comigo.

A primeira coisa que me chamou a atenção quando escutei algumas das músicas do novo disco da banda no myspace, mas precisamente na faixa Circles, foi a grande influência percussionista. Tambores de todos os tipos e palmas, que somados à um muitíssimo bem tocado violão, embalam esta incrível e envolvente faixa, que é de fato um dos pontos altos do disco.


A faixa seguinte, Sixies & Sevens, continua com o envolvente violão da faixa anterior, e também com a brilhante influência de tambores. Mas o que realça mesmo esta faixa é a linda voz de Dan Nigro, que se orquestra à canção de uma forma brilhante. A faixa seguinte, mais precisamente a faixa-título, tem um ritmo incansável e uma pitada de melancolia, que logo é jogada fora nas faixas seguintes à ela, com excessão de Duermete, uma brilhante faixa com majestosos 8 minutos de duração, que mergulha nas profundezas da tristeza e angústia. A faixa mais pop e menos quieta do disco, total cantrária à Duermete, é In Case of Rapture, que é o ápice selvagem do disco, e que mostra a verdadeira essência da banda maravilhosamente.

Agora vem a surpresa: A coisa mais improvável e que eu jamais ousaria imaginar, aconteceu. Em We's Been Waitin', há uma incrível e muito bem dominada influência de jazz. Sim, jazz. E além disso ela lembra bastante a música Feeling Good, do Muse. E é nesta e na seguinte faixa, Is This Tomorrow?, que fica claro que Dan Nigro não apenas possui uma belíssima voz, mas também uma incrível abilidade com pianos. Sinceramente? Brilhante.

O disco segue com Sleepyhead, a faixa mais "lazy" do disco - também uma das mais belas. Após o cochilo com Sleepyhead, vem The Narrows, que mostra mais uma vez a clara influência de tambores e diversos outros tipos de percussões existentes na banda. E pra fechar a obra com chave de ouro, vem Lost My Mind. Que música, meus amigos. É uma canção de arranjos simples, com uma letra tocante e que mostra o lado sentimental e tristonho dos rapazes. Perfeita para fechar este incrível álbum e deixar um singelo gostinho de "quero mais".

E eu vos digo, quando esse "quero mais" de fato se realizar com o próximo disco dos caras, eu estarei aqui, firme e forte, para continuar com mais um capítulo da história desta incrível e tocante banda que é o As Tall As Lions.


As Tall As Lions - You Can't Take It With You (2009)


01 - Circles
02 - Sixies & Sevens
03 - You Can't Take It With You
04 - Go Easy (See The Love)
05 - Duermete
06 - In Case of Rapture
07 - We's Been Waitin'
08 - Is This Tomorrow?
09 - Sleepyhead
10 - The Narrows
11 - Lost My Mind

Link para download nos comentários.

7 comentários:

Anônimo disse...

Download (Deluxe Edition, + 3 faixas): http://www .megaupload. com/ ?d=XLD0KU8Y

Anônimo disse...

mto bom o blog kra !
parabens ai

Como faria p entrar em contato c vcs ?!

Lucas Lima disse...

Você pode nos contatar pelo nosso e-mail, o discopops2009@gmail.com, ou pode falar comigo pelo meu orkut. O link se encontra na aba "DiscoPops", na coluna esquerda do blog, em um botão que irá te redirecionar para o meu perfil. Abraço

Héctor disse...

Me desculpa mas você não sabe nada sobre as tall as lions esse album é considerado o mais fraco da banda, os melhores ( em orde) são o self- titled e o lafcadio.

pode ser até a tua opnião mas para quem ouve esse album e fala que a essencia da banda, me esculpe amigo mas procura ouvir o lafcadio e depois self - titled e re-edita o post porque simplesmente nas primeiras linhas vc entrega q só ouviu esse album e tá puxando saco!

Lucas Lima disse...

Certo, lá vamos nós. Bom, pra começo de história, antes de'u fazer uma resenha de qualquer um disco, eu escuto a discografia inteira da banda antes. Dizer que "esse álbum é considerado o mais fraco da banda" é um clichê ridículo, porque os gostos mudam de pessoa para pessoa. Se você considera os outros melhores do que este, é uma opinião sua. Eu prefiro este disco aos outros, e acho que este é a essência da banda porque pra mim foi neste disco o qual ela se saiu melhor musicalmente falando. O fato dos outros terem sido anteriores a este, não quer dizer que tenham que de fato definir a essência da banda. Se fosse, então você está me dizendo que por exemplo, o primeiro disco do Radiohead é a essência da banda? Depois dele, eles exploraram milhares de outros sons, e são aclamados por essa mudança, essa mudança que mudou sua essência. E o que mudou a essência deles? Discos melhores. Portanto, se esse disco de 2009 do As Tall As Lions é na minha mera opinião o melhor deles, pra mim também a essência da banda se encontra nele e ponto final.

Se você discorda, não precisa voltar mais aqui. Como você deve saber, blogs são identidades pessoais, com opiniões pessoais e gostos pessoais. Se você não se identificou comigo, não tem a mesma opinião do que eu, e também não tem pelo menos em parte um gosto parecido com o meu, o seu lugar de fato não é aqui. Passar bem.

Lucas Lima.

Héctor disse...

Ok Lucas Lima, em minha sincera opinião junto com outras pessoas que lá li sobre este album que tem otimas musicas, mas se você ouviu a discografia inteira e também aproveitou para ouvir os EP(que também afirmo dá uma olhada) percebe-se que a banda mudou bastante e acabou que eles sairam do seu meio Indie (que é o estilo deles) foi mais para um pop e perdeu um pouco a sua caracteristica é o album fraco no qual me relacionei foi ao visto que se esperava que eles fizessem um album muito mais interresante que o Self-titled(as tall as lions) acabou que alguns fãs que conheço que igual a minha opinião foi decepicionante.

A sua opinião respeito bastante e foi a partir dela que olhei com outros olhos esse album e concordo com o que você disse ouve uam incrivel mudança, mas ainda posso afirmar que na opinião de muitos( não na minha como anteriormente) o melhor album escolhido por muitos é o Self-titled e o lafcadio e esse ainda está um pouco atrás.

Parabéns pela resenha e acho que vc falou tudo sobre as musicas.

Postar um comentário

> <
 
 
© DiscoPops. All Rights Reserved. Powered by Blogger. Designed by Ouch! Themes